jusbrasil.com.br
22 de Outubro de 2017
    Adicione tópicos

    A nova fronteira científica do boimate

    Espaço Vital
    Publicado por Espaço Vital
    há 9 anos

    Os jornais e revistas ingleses gostam de "descobrir" e revelar fatos científicos no dia 1º de abril - que transcorre amanhã. Muitos dos jovens advogados brasileiros estavam ainda nos bancos escolares de primeiro e/ou segundo graus - e talvez desconheçam este causo que envolveu, por ricochete, a maior revista brasileira (Veja) que comeu barriga, ao informar em sua edição de 27 de abril de 1983 o surgimento do boimate - festejado como "uma nova fronteira científica". Talvez seja o mais notório causo de primeiro de abril.

    Tudo começou com uma brincadeira da revista inglesa New Science que, há 26 anos, em 1º de abril, dia da mentira, inventou e fez circular uma matéria, segundo a qual "a experiência dos pesquisadores alemães permite sonhar com um tomate do qual já se colha algo parecido com um filé ao molho de tomate".

    O ridículo foi maior porque a revista inglesa deu inúmeras pistas: os biólogos autores da "descoberta" Barry McDonald e William Wimpey tinham esses nomes para lembrar as cadeias internacionais de alimentação McDonald´s e Wimpy´s. A Universidade de Hamburgo, palco do "grande fato", foi citada para que pudesse ser cotejada com "hamburguer" e assim por diante. Mas nada adiantou.

    A tal "fusão de células vegetais e animais" entusiasmou o responsável pela editoria de Ciência da Veja que não titubeou em destacar o fato, ilustrando-o com um diagrama e entrevistando um biólogo brasileiro, para dar a devida repercussão do grande feito.

    A descoberta do engano foi feita pelo jornal O Estado de S. Paulo que, após esperar inutilmente pelo desmentido, desmascarou o boimate no dia 26 de junho daquele ano. O espírito gozador e às vezes até irado do brasileiro, no entanto, não deixou por menos. Durante o intervalo entre a matéria da Veja e o desmentido do Estadão, cartas e mais cartas chegaram às redações.

    Um delas que, maliciosamente, assinou "X-Burguer, Phd, Capital", lembrava que no Brasil já haviam sido feitas descobertas semelhantes: o jeribá, cruzamento de jabá com jerimum; ou o goiabeijo, cruzamento de gens de goiaba, cana-de-açúcar e queijo; e o prosseguimento de estudos para a criação do Porcojão ou Feijoporco, cruzamento de porcos com feijões, como contribuição à tradicional feijoada paulista.

    Nesse contexto, no festejado "Show do Gordo" que ia ao ar às segundas-feiras, na Rede Globo, Jô Soares criou o personagem "Professor Apocalipse" que anunciava que "graças às novas fronteiras científicas, as pipocas já vão nascer estreladas e salgadas no topo dos milharais, sem necessidade de azeite, sal e panela quente". Jô também previu, jocosamente, a próxima chegada do "elebu" - a cruza do elefante com o urubu e o "canaburro", o raro resultado de uma união entre um canário e um espécime asno.

    Um leitor escreveu uma carta séria e colérica ao Jornal da Tarde contra "a violação das leis naturais". Segundo ele, "do alto dos meus 76 anos, não posso ficar calado ante tal afronta às leis divinas. Boi nasceu para pastar, para puxar os saudosos carros do interior e para nos oferecer sua saborosa carne. E tomate, além das notórias qualidades que se lhe imputam na cozinha, serve também para ser arremessado à cabeça de quem perpetra tal montruosidade e, também, dos dão guarida e incentivam tais descobertas".

    Houve quem relatasse outros cruzamentos - além do boimate - que deram certo e cita experiências para"cruzar pombo-correio com papagaio, para o envio de mensagens faladas".

    Outrossim, com o objetivo de dar fim ao caso que já divertia as redações dos jornais, a revista Veja publicou, na edição de 6 de julho daquele, ou seja, depois de dois meses, o desmentido:"tratou-se de lastimável equívoco". E justificou-se, explicando que é costume da imprensa inglesa fazer isso no dia 1º de abril e que, desta vez, havia cabido à revista brasileiro entrar no jogo, exatamente no "seu lado mais desconfortável".

    Finalmente, em versão jurídica gaúcha - fora do campo dos experimentos ingleses - em 1º de abril de 2009, estaria por ser lançada a FazendaaJato, capaz de transformar as Varas da Fazenda Pública de Porto Alegre nas mais notáveis repartições de prestação jurisdicional, com decisões cumpridas imediatamente pelo Estado do RS, sem riscos de os processos sumirem na Procuradoria ou se eternizarem na "pilha 43" da 3ª Vara.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)