jusbrasil.com.br
24 de Junho de 2017

98% dos processos trabalhistas de todo o planeta estão no Brasil

Espaço Vital
Publicado por Espaço Vital
mês passado
Vícios do Brasil

Enquanto a plateia de cerca de 150 pessoas aguardava em Londres, ao longo do sábado (13), o anunciado "possível grande duelo" entre José Eduardo Cardozo e Sergio Moro, uma série de dados críticos em relação ao nosso país foram apresentados em diferentes palestras do Brazil Forum.

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, abriu os trabalhos, comentando que o Brasil, sozinho, é responsável por 98% dos processos trabalhistas em todo o planeta Terra. Detalhe: nosso país tem 3% da população mundial.

O magistrado citou o caso do Citibank, que desistiu de operar no Brasil quando detectou que aqui obtinha 1% de suas receitas, enquanto simultaneamente sofria 93% das ações trabalhistas em que é reclamado, mundo afora. Em seguida, Barroso comentou que 4% do PIB brasileiro é gasto com o funcionalismo público – “é um alto custo do Estado”.

O ministro também classificou a Previdência brasileira como responsável por perversa transferência de renda. "Os 32 milhões de aposentados da iniciativa privada custam o mesmo que 1 milhão de aposentados do poder público”. Ao dividir dessa forma desigual, meio a meio, toda a arrecadação da Previdência, o amargo e injusto é que a maioria pobre termina dando dinheiro à minoria mais endinheirada.

Quanto ao possível duelo entre o ex-ministro da Justiça e o juiz da Lava-Jato, sentados lado a lado, o debate não se realizou, havendo educadas divergências e troca de mesuras. Ao iniciar sua fala, Moro brincou dizendo que algumas pessoas esperavam confronto, mas que ele não havia dado “nenhuma cotovelada” no colega de mesa. Segundo o juiz, é uma tolice pensar que os dois não poderiam dividir um espaço, já que “a democracia é um espaço acima de tudo de liberdade”.

Cardozo, a seu turno, feições mais constritas, usou uma frase repetitiva: “O processo de impeachment que retirou Dilma Rousseff foi um golpe”.

Desagregação na rede

Uma pesquisa realizada pelas agências JWT e Grimpa XP - que ouviram 4.894 pessoas em todas as regiões do país – revela que quatro em cada dez brasileiros perderam amigos, nos últimos 12 meses, em função de divergências durante contatos pelas mídias sociais.

Internautas definem que se trata do chamado “rompimento digital”.

Mulheres experientes

O mundo inteiro comenta - e, muitas vezes com pitadas de preconceito - o fato de o novo presidente da França, Emmanuel Macron, 39 de idade, ser casado com uma mulher, Brigitte Macron, 63 – irreversíveis 24 anos mais velha.

Afinal, o mais comum é o contrário: Michel Temer, por exemplo, é casado com Marcela, 43 anos mais nova.

A propósito, a professora de antropologia da UFRJ Mirian Goldenberg lançou o livro “Por que os homens preferem as mulheres mais velhas?”. Foram entrevistados 52 homens e mulheres, todos casados, há pelo menos dez anos, com uma diferença de idade também de, pelo menos, dez anos.

Segundo o livro “todos esses casais são muito felizes”. Entre as mulheres citadas que preferem/preferiram homens mais jovens, estão Susana Vieira, Elza Soares, Ana Maria Braga, Marília Gabriela e Elba Ramalho.

A propósito, números do IBGE mostram que aumentaram as uniões de mulheres mais velhas com homens de menos idade. Em dez anos (1996 a 2006) esses casamentos pularam de 5,6 milhões para 7,5 milhões. São impressionantes 34% de aumento.

Estatística exitosa

Carlos Ayres Brito, ex-presidente do Supremo, pediu a gente de sua confiança para conferir o percentual das decisões de Sérgio Moro que foram mantidas – no TRF-4, no STJ e no STF.

Deu 94%. O levantamento constatou não haver um único juiz, no Brasil, com estatísticas de êxito sequer parecidas.

A propósito, o advogado e escritor José Paulo Cavalcanti Filho, em artigo publicado no Diário de Pernambuco, na sexta-feira (12), sob o título “Moro e Lula, o Encontro” fez projeções sobre a Lava-Jato.

Diz que “Moro sabe que a Lava Jato tem prazo para acabar, porque ele conhece o precedente da Mani Polite (Mãos Limpas), na Itália, onde depois de 5 anos, ninguém mais queria saber da operação”. E arremata que “Moro trabalha para que todos os processos estejam encerrados até o próximo ano”.

21 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

tem bastante patrão sem escrúpulo que não respeita a lei, mas a grande maioria dos empresários sentiram numa ação trabalhista, já de inicio que a balança pende para o lado do trabalhador mesmo em litigância de má fé de funcionários mal intencionados, mesmo que o empresario tenha tempo e conhecimento/acessoria para deixar a papelada tudo organizada, sofre para derrubar petições muitas vezes fantasiosas, que na mão de advogados afiados nas virgulas das emaranhadas leis, saqueiam mesmo. Imagine o empresario inocente sofrendo para manter o negocio em pé, mal consegue pagar a folha final do mes, e ainda comete o erro de nao pegar um recibo, holerite etc etc etc... esse ta lascado, enquanto não houver uma reforma trabalhista e fiscal de verdade, esse país sempre sera uma cadeira de balanço, continuar lendo

O que esperar de uma país onde se cria legislação trabalhista até para a gorjeta?!?! continuar lendo

leia o link http://apublica.org/2017/05/truco-falhas-na-clt-tornamobrasil-campeao-de-processos-trabalhistas/ irá ver como nosso governo mente descaradamente. Não há fonte confiável e dados são totalmente desconectados do mínimo de avaliação científica básica (desculpe a redundância) continuar lendo

Chegou à esse ponto pq o bom senso não basta. Patrões colocam na cobrança 10% referentes à taxa de serviço e não repassam a quem de direito. Infelizmente o brasileiro tem por costume só obedecer às regras que são passíveis de punição financeira em caso de descumprimento, como multas de trânsito, falhas na declaração de IR E etc... Já é uma praxe nos restaurantes do Brasil o proprietário lançar nas notas a cobrança dos 10% e se apoderar desse valor. Nos casos em que repassam, não pagam salário aos garçons, deixando-os trabalhar apenas pelas comissão! Infelizmente a realidade é essa! continuar lendo

Trabalhei em uma barraca de rua, um lugar onde moravam pessoas da mais alta estirpe da zona sul da cidade do rio de janeiro. havia um Juiz que sempre parava seu veículo de forma irregular. havia uma moradora que ligava pra guarda municipal para reclamar, e oguarda toda vez dizia que se o juiz perguntasse ele diria quem fez a denuncia. Eu acho incrível como, ao ser constatado um fato, que os funcionarios publicos pesam, ninguem fala em cortar os benefícios nababescos dos políticos. Mais fácil culpar policiais e professores. Afinal, quem seria louco de comprar briga com pessoas que podem fazer mal, não é mesmo? Então deixa o deputadose aposentar com dois mandatos, plano de saúde ilimitado pra geral da família, e por aí vai. continuar lendo

É...98%! Se houvesse aquela coisinha de margem de erro: dois para cima e dois para baixo, afirmaríamos que os processos trabalhistas são apenas mais uma das inúmeras vergonhas que só se encontram no Brasil. Todavia, prefiro não querer acreditar neste fato mais revoltante: "32 milhões de aposentados da iniciativa privada custam o mesmo que 1 milhão de aposentados do poder público”. continuar lendo